terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

O que sobra de um desencontro


Já descobri o motivo dos nossos encontros, acabarem desmarcados horas antes do combinado!
Os momentos bons ficaram no passado e nos apegamos apenas à admiração recíproca.
Encontros são opções e presença neles, passa a ser escolha!
Imprevistos ocorrem, mas desculpas e motivos surgem com rapidez e tamanha criatividade.
Não queremos magoar ninguém e muito menos, admitir que mudamos e que essas mudanças talvez não alimentem admirações, apenas façam surgir indiferença.
Deixo como lembrança a minha ausência em futuros encontros, mas a minha eterna presença naquilo que vivemos e que apenas um lugar pode nos abrigar para revivermos tudo isso: a memória.


Felipe Lucchesi

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Caminhar sozinho

Sempre conhecemos alguém que na maior parte do tempo está com amigos ao lado ou com quem está namorando. Seja para qual for o lugar, lá está com a sua companhia e a sua carência companheira. Popularidade estende-se até os 16 anos porque depois, é mera carência, afinal, com o passar dos anos descobrimos o prazer e necessidade de andarmos sozinhos, agendarmos um tempo para nós mesmos.

Felipe Lucchesi

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Ohtake e a Arte no céu‏




Querida Tomie Ohtake, continuaremos a admirar as curvas que você brilhantemente colocou no nosso caminho, entre idas e vindas pela grande São Paulo. Cada pintura e obra sua, cria vida, conta histórias, ilumina, encanta e serve como referência artística e orgulho nacional. Faça do céu a partir de agora, a sua grande Arte!

Felipe Lucchesi

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

A Tv e o que perdemos




Algumas pessoas costumam dizer que não gostam de ver tv e que não há programação com qualidade, no entanto, o aparelho de televisão nas salas e quartos apenas cresce e torna-se mais moderno.
Hoje pude assistir novamente uma novela antiga, que na época, ainda famílias se reuniam para verem todos juntos tal capítulo, tendo comentários sobre atores, atrizes e rumo de cada personagem. Naquela época não tinha internet e quem perdia alguma novela ou programa, tinha que se contentar com os comentários das pessoas no dia seguinte.
Ganhamos a comodidade com o tempo, mas perdemos a união que um simples meio de comunicação trazia para a casa de todos, junto com o manual de instruções.

Felipe Lucchesi