domingo, 11 de maio de 2014

Carta para as minhas mães


 Seria sortudo se tivesse uma boa mãe, no entanto, considero-me privilegiado por ter duas.
 Uma, mãe, com papel definido e podendo sonhar e ensaiar durante os nove meses de gestação.
 Outra, avó, com papel recebido no desenrolar da vida e que tornou-se parte de uma família nada tradicional.
 As duas conseguem juntas desempenhar a árdua tarefa de serem também pais e educadoras.
 Dizem que a família é a raiz dos laços afetivos que foram concebidos quando ainda éramos fetos.
 A minha família construiu-se aos poucos e sem ao menos eu ter idade para perceber.
 Uma das grandes responsabilidades que sinto ao ter uma educação digna, é mostrar com o passar do tempo, que me tornei grande como pessoa, que soube aprender e compartilhar a essência da vida.
 O tão ouvido "eu te amo" geralmente lembrado de ser dito nessa data especial, tento dizer diariamente através das nossas risadas, "até mais", "boa sorte" e principalmente, sendo alguém do bem, que trará para casa orgulho para as pessoas que mais considero na vida e nas que realmente posso confiar.
Muito obrigado por tudo e um "eu te amo" do tamanho do meu coração.


  Beijos!

Felipe Lucchesi

Nenhum comentário: