domingo, 23 de novembro de 2014

Peça: "A geladeira" estreia em São Paulo




 O diretor Nelson Baskerville proporciona aos espectadores na sua mais nova peça: "A geladeira", a oportunidade de sair do óbvio e dar espaço para todos refletirem.
 Tendo a atuação de Fernando Fecchio e sua frenética e admirável performance, a geladeira que divide o palco com o ator e estende-se ao nome do espetáculo, passa a ser apenas uma ferramenta diante das tantas que o público encontra durante todo o tempo de encenação.

Felipe Lucchesi

sábado, 25 de outubro de 2014

O dedo que aperta confirma




Os brasileiros pagam dívidas com o carisma e depositam no voto, seus sonhos mais otimistas.Sou brasileiro e não me excluo disso! Talvez se o voto fosse concedido com medo do surgimento de um país pior, daquele que não reconheceríamos nem se falássemos "brasileiro" em terceira pessoa, fôssemos mais "Brasil", fôssemos não unânimes, mas unidos em olhar para um futuro e não para nós mesmos.

Felipe Lucchesi

sábado, 18 de outubro de 2014

Culto...eu?



Ser culto, não é possuir inteligência inatingível ou dom, é questão de hábito. Parem de usar a cultura como status, quando na verdade ela existe para somar e não para dividir toda uma sociedade.

Felipe Lucchesi

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Meus professores


Tantos amigos foram meus professores e cá entre nós, ensinar algo sobre a vida não encontramos em livros ou cartilhas. Hoje, meu parabéns vai para esses professores, que carregam a sabedoria como diploma.

Felipe Lucchesi

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Agradecimento - Otávio Martins e Natállia Rodrigues


Quero agradecer imensamente o ator e diretor Otávio Martins e a atriz, Natallia Rodrigues, que foram muito atenciosos e carinhosos comigo.

Felipe Lucchesi

Peça: "Caros Ouvintes" na revista Veja São Paulo


segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Crianças


Durante um espetáculo infantil que assisti, a atriz pediu para não dizerem onde ela ia se esconder para então o ator, companheiro de cena, perder a brincadeira "esconde-esconde". Bastou o ator mostrar fragilidade diante da derrota, as crianças logo apontaram onde a atriz estava escondida. Compreendi mais do que nunca, o quanto as crianças são honestas e não conhecem a omissão. Se pecam é apenas pelo excesso de honestidade!

Felipe Lucchesi

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Musical: "O Homem de La-Mancha


O que sobra para eu dizer além de que vendo o espetáculo me senti na Broadway? Emocionante e capaz de mostrar ao público o quanto o Brasil é rico no quesito Arte.
— em Teatro Popular do Sesi
Felipe Lucchesi


sábado, 13 de setembro de 2014

João Antônio Donati e um pouco de nós




Ontem fui dormir com o peso de saber que alguém morreu pedindo socorro. 
Conheci João Antônio Donati pelos jornais, assim como você também o conheceu, mas pude ver um pouco dele em cada amigo meu, que carrega junto à alegria de viver (que tantos jovens espalham como vírus), uma intolerância violenta de muitas pessoas.
Acordei e achei que o pouco que consigo de bondade de cada um ao meu redor, me salvaria por momentos de ter que lidar novamente com esse lado do mundo (cruel) que não aceito, no entanto, ao me deparar com o primeiro jornal, leio a notícia que uma igreja que celebraria a união de dois homossexuais, no sul do país, fora destruída.
A luta por justiça e pela paz que parece nunca chegar, não é só dos gays, mas de toda uma sociedade, que acaba sendo feliz por distração, porque ser atento nos dias atuais, leva à uma depreciação do estado em que o mundo encontra-se e consequentemente, do ser humano.


Felipe Lucchesi

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Artigo publicado na revista: "Isto É"


"




As 24 horas do dia servem para vivermos algo bom ou revertermos um momento ruim antes de irmos dormir. Descontar num dia inteiro o fracasso de horas é puro egoísmo!

Felipe  Lucchesi

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Status: Solteiro




Sempre há quem entenda o fato de estar solteiro como uma incapacidade de amar ou de ser amado. 
Os conselhos para conseguir alguém especial são uma piada à parte, já que não ter ninguém, pode ser encarado muitas vezes como vergonha, um fracasso.
Até hoje, quem julgou meu estado civil foram pessoas que estavam namorando mas que o relacionamento se apoiava em traições e uma grande autoafirmação e negação de preferir estar sozinho, que com alguém que não gosta mais.
Os que possuem um amor estável e sincero aconselham a esperar, pois sabem que o amor não é loteria e muito menos, status.

Felipe Lucchesi

domingo, 17 de agosto de 2014

Peça: "Caros Ouvintes" de Otávio Martins


Adorei a peça:"Caros Ouvintes"!!! O escritor e diretor Otávio Martins, expõe um saudosismo que os mais antigos têm e os mais novos com bom gosto também: a era do rádio. Atrizes e atores destacam-se por saberem usar o humor no tom correto, sem clichês e não sendo caricato.

Felipe Lucchesi

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Conquistas



Sou um grande admirador da arte da conquista!
A conquista entre pessoas que se atraem, que querem ser amigas ou simplesmente observadas.
Chego a virar a cabeça para quem investe nos detalhes e caminha deixando no ar um bom perfume.
Não disfarço minha admiração por quem toca violão para juntar amigos ou em busca do olhar de quem deseja.
Fico sem reação ao receber um convite de quem apenas tem a intenção de conversar, de me conhecer.
Todos os dias, existe sempre a oportunidade de conquistar e de ser conquistado! Amanhã, qual será a sua escolha?


Felipe Lucchesi

quinta-feira, 7 de agosto de 2014



A autodefesa que boa parte de nós tem é dizer que "é melhor falar mal pessoalmente que na nossa ausência". A verdade é que ninguém possui uma "gestão de crise pessoal" e todos se projetam a serem queridos e não, temidos ou evitados.
Ser reprovado por alguém é questionar no mínimo a falta de humanismo do próximo ou nossa inocência em procurar a unanimidade.

Felipe Lucchesi

segunda-feira, 14 de julho de 2014






Não sei ao certo se aceitar perder é pior que se preparar para perder. Por mais que saibamos que nada e ninguém é eterno, se despedir quase sempre parece injusto.

Felipe Lucchesi

domingo, 13 de julho de 2014

Fim de semana

Fim de semana serve para sermos lembrados. Quem nunca esperou o telefone tocar em busca de um bom convite? Durante a semana, esquecemos uns dos outros, mas perdoamos, porque o excesso de trabalho sempre é quem leva a culpa.

Felipe Lucchesi

quinta-feira, 10 de julho de 2014



Ninguém consegue estar feliz e se manter calado! 
A felicidade por si só é escandalosa! 
Ela se espalha pelo ar, se expõe em cada poro do rosto e do corpo. Daí todos percebem que estamos felizes! O sorriso é apenas a mensagem final de tudo isso.

                              FGdgggFelipe Lucchesi

terça-feira, 8 de julho de 2014

Adeus Copa!

Desde criança ouço que é necessário saber perder! Não cabe ao Brasil ter vergonha nesse momento ou buscar culpados. Sobra para cada brasileiro, reconhecer que outros países são capazes de jogar futebol tão bem quanto nós e juntos, aplaudirmos aquele que jogou da melhor maneira e que teve esse mesmo Brasil como referência para conquistar a Copa.

Felipe Lucchesi

quinta-feira, 3 de julho de 2014


Cresci ouvindo dizerem para eu engolir o choro mas bastou crescer, que passei a ouvir que apenas quem chora é quem sente. Comprei esse livro para saber se os mitos do choro só existiam na minha casa.

Felipe Lucchesi

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Observo-te!



Quantas pessoas você observa no seu dia-a-dia e elas nem se dão conta disso?  Você sabe que horas pegam o ônibus, quais cores de roupa costumam usar e se são bem ou mal humoradas. Cria aproximação por observação e prova da curiosidade diária, que chega quase a ser platônica. Tudo isso sem nem ao menos terem sido apresentados e talvez, se isso ocorrer, perca toda a graça!  

Felipe Lucchesi

domingo, 22 de junho de 2014

Aspas

Se minha vida parecer fantástica e eu, inabalável, por um momento apenas, sob o seu olhar, não acredite! O fato é que as coisas ruins que acontecem comigo, prefiro me recolher para resolvê-las. A felicidade é bem mais fácil e cômoda de ser compartilhada!

Felipe Lucchesi

domingo, 15 de junho de 2014

Criança pode tudo!

video
O sonho da maioria dos garotos é ser jogador de futebol. Sonham com a grande torcida vibrando com os dribles que dão, quando ainda jogam na rua, com chinelos servindo de "traves de gol".
Fiquei feliz ao ver o menino que ganhou as manchetes durante a semana por ter "invadido" o treino da seleção e logo depois, ter recebido a atenção que tanto merecia e sonhava.
Ele queria apenas uma foto e um jogo informal com as estrelas que fazem parte do seu desejo diário. Uma das melhores coisas de ser criança é não ver empecilhos para realizar sonhos!


Felipe Lucchesi

domingo, 11 de maio de 2014

Carta para as minhas mães


 Seria sortudo se tivesse uma boa mãe, no entanto, considero-me privilegiado por ter duas.
 Uma, mãe, com papel definido e podendo sonhar e ensaiar durante os nove meses de gestação.
 Outra, avó, com papel recebido no desenrolar da vida e que tornou-se parte de uma família nada tradicional.
 As duas conseguem juntas desempenhar a árdua tarefa de serem também pais e educadoras.
 Dizem que a família é a raiz dos laços afetivos que foram concebidos quando ainda éramos fetos.
 A minha família construiu-se aos poucos e sem ao menos eu ter idade para perceber.
 Uma das grandes responsabilidades que sinto ao ter uma educação digna, é mostrar com o passar do tempo, que me tornei grande como pessoa, que soube aprender e compartilhar a essência da vida.
 O tão ouvido "eu te amo" geralmente lembrado de ser dito nessa data especial, tento dizer diariamente através das nossas risadas, "até mais", "boa sorte" e principalmente, sendo alguém do bem, que trará para casa orgulho para as pessoas que mais considero na vida e nas que realmente posso confiar.
Muito obrigado por tudo e um "eu te amo" do tamanho do meu coração.


  Beijos!

Felipe Lucchesi

terça-feira, 29 de abril de 2014

Liberdade


É difícil libertar os melhores personagens que passam pela nossa vida, mas temos que aceitar, que a felicidade que eles proporcionam, deve seguir adiante e fazer parte da vida de tantas outras pessoas.
Ninguém deve estar preso à nossa história, apenas por ter sido parte dela.

Felipe Lucchesi

sábado, 26 de abril de 2014

O que vem depois do ponto final

O mais gostoso de escrever vem depois de qualquer "ponto final" colocado no texto.Alguém quando diz que se identificou com o que escrevi ou que fiz surgir pensamentos nunca antes estabelecidos, através de palavras sem pretensão ou obrigatoriedade alguma de agradar, faz surgir em mim, uma satisfação imensa, por de certa forma, ser responsável pela quebra do rótulo de que é necessário ter um Q.I alto, um livro publicado e falar formalmente, para ser considerado um escritor. 
Escritor para mim é quem escreve e quem publica livros, é apenas um bom contador de histórias e para ambas as tarefas, basta apenas ter técnica e principalmente, criatividade.

Felipe Lucchesi

domingo, 30 de março de 2014

Privacidade extinta

Câmeras nos celulares e agora uma lente para olhos que a pessoa consegue até fotografar? Estamos definitivamente no fim da privacidade e bom senso para as pessoas(que não tem educação suficiente) terem acesso à um tipo de equipamento como esse.Isso me assusta muito!

Felipe Lucchesi

segunda-feira, 17 de março de 2014

A vida resumida em aplausos

               Foi ao atualizar a página de um site de notícias que me surpreendi com a foto de Paulo Goulart estampada e um texto no qual ninguém gostaria de ler:Paulo dava adeus à família e aos tantos fãs que conquistou durante sua carreira.
                Quando alguém morre,quase imediatamente nossa memória nos remete aos momentos que passamos junto com aquela pessoa ou os momentos que pudemos acompanhar um pouco da vida dela.
                Paulo era um ator famoso e logo, distante da minha realidade, no entanto, foi numa tarde em que pude conhecê-lo pessoalmente, mais especificamente no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, que nossos destinos cruzaram, por um breve momento.
                Ele poderia ser apenas mais um artista no qual admiro e deslumbro ao ver pessoalmente, mas o senhor Goulart foi diferente, bem diferente.
                Os famosos estão acostumados(ou deveriam estar talvez) de sempre que aparecem em público, atraírem olhares curiosos de anônimos e admiradores ao mesmo tempo.
                Naquela tarde Paulo Goulart e Nicette Bruno desembarcaram no Aeroporto e atraíram vários olhares e o que me despertou ainda mais admiração foi um pequeno gesto do casal:os dois muito sorridentes acenavam para as pessoas, num gesto de educação, mas principalmente, de agradecimento.
               Certa vez vi uma entrevista de um ator que estava no auge da sua carreira e quando perguntado sobre fãs, afirmou que não entendia o motivo das pessoas terem tanta curiosidade em ver artistas de perto.
              Respondo essa pergunta com facilidade!
              Os espectadores acompanham os artistas em programas e novelas e dividem com eles, de forma indireta, aquilo que estão sentindo naquele momento. Vera Fisher e Antonio Fagundes já foram válvulas de escape para mim, quando terminei um relacionamento ou quando estava triste com algum acontecimento do meu dia.
             Dessa forma, tornamos o artista do outro lado da tela, especial e importante, por reconhecermos não somente o seu talento para as artes cênicas, mas também, por ser um dos responsáveis de nos manter bem, naquele instante que ninguém conseguia.
           Vá com Deus Paulo Goulart e muito obrigado por seguir seus sonhos e proporcionar ao público o seu brilhantismo artístico!

Felipe Lucchesi
               

sábado, 25 de janeiro de 2014

460 anos e uma cidade jovem!

               Os humanos quanto mais maduros, mais sensíveis e menos agitados ficam.As cidades são diferentes! 
               O tempo traz desenvolvimento e movimento e quando fala-se numa cidade movimentada, todos pensam em São Paulo.
                É essa a minha querida e amada cidade! 
                Quem vem pela primeira vez, não pensa em se despedir dela! Há os que ficam e os que necessitam ir embora, mas com uma eterna e gostosa lembrança.
                 A grandiosidade de prédios e a diversidade cultural tornam São Paulo indescritível, indefinida!
                  Milhões de pessoas circulam pelas ruas, entre calçadas e avenidas e esbarram muitas vezes na solidão, um sentimento que se integra à um lugar em que tudo tem grandes proporções e ao mesmo tempo, uma sensação de desconhecimento em relação aos lugares e à própria população.
                  Diante do mar de pessoas que moram ou passeiam por São Paulo, um encontro com um conhecido pode ter muitos significados e eles certamente fogem de um simples acaso.Encontros são desejados e desencontros fazem parte da rotina.
                   Paulistanos possuem uma vida solitária mas liberta!

Felipe Lucchesi

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

A última sessão-Show de talentos

                   Atores e atrizes que fizeram parte de uma televisão que não existe mais e de um meio teatral que estava "engatinhando" ainda. 
                    Laura Cardoso,Etty Fraser,Nívea Maria e demais artistas sob a direção de Odilon Wagner, tem a oportunidade de estarem reunidos numa comédia que surpreende pela linguagem jovial e espontaneidade.
                 A plateia não consegue se conter desde o início e na entrada de cada personagem,ouvem-se os aplausos.
               O preço do ingresso não é o suficiente para prestigiar esses artistas que há décadas proporcionam ao público em diversos meios artísticos, um show de talento.

Felipe Lucchesi


Informações:
Temporada: Teatro Frei Caneca
16 de janeiro a 27 de abril

Quintas às 16h
Sextas e Sábados às 21h
Domingos às 18h

Duração: 90 minutos
Preço:R$ 80,00
Classificação etária: 12 anos.



                      

sábado, 18 de janeiro de 2014

Rolezinho-As vítimas somos nós

 O famoso "rolezinho" de uma simples reunião de adolescentes tomou rumo e deu voz à "pseudo jovens politizados" que mesmo sabendo que a infiltração de vândalos denigrem a imagem do inofensivo evento, utilizam-se de argumentos para saírem como vítimas.

Felipe Lucchesi

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

"A Arte da Comédia" nos palcos de São Paulo

    Teatro que fala de teatro, é possível? A peça:" A Arte da Comédia" é prova viva que sim.
    Dirigida por Sérgio Módena e com texto de Eduardo Filippo, esse espetáculo possui bom senso de humor e acima de tudo, é muito politizado. Questões sociais e históricas são debatidas em cima do palco e o público leva para casa tais questões para serem analisadas.
     O elenco possui talento e harmonia entre si, possibilitando muitos improvisos, o que agrada o público.
         Se há um defeito diante de todos esses atributos, é a questão de duração da peça, que não precisaria se estender tanto.Por conta desse empecilho, o espectador acaba cansando um pouco para um desfecho que poderia ter ocorrido antes, com mais êxito.


Felipe Lucchesi
     

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Visita

Hoje quem veio me visitar foi o meu passado, que nunca avisa quando fará visita e muito menos, quanto tempo ficará presente.Sorte a minha que tenho orgulho dele! Encontro quem me fez feliz, quem jurou amor eterno ou um simples telefonema que ficou apenas na memória.

Felipe Lucchesi

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Dia do leitor


Hoje é o dia do leitor! 
Ler para mim é um grande privilégio e um dos incentivadores foi Maurício de Souza, que através das suas irresistíveis histórias em quadrinhos e simpáticos personagens, conseguiu me encantar durante os meus primeiros anos de leitura(quando ainda engatinhava para escolher minhas revistinhas preferidas).
Mônica,Cebolinha e toda a turma, foram meus primeiros amigos da vida literária,e hoje, encontram-se ao lado de outros grandes personagens de livros, que estão em um dos meus maiores tesouros:minha imaginação.

Felipe Lucchesi