terça-feira, 23 de junho de 2009

Jornalista sem diploma é antena sem tv

A decisão radical e não pensada do STF(Supremo Tribunal Federal) de resolver suspender a exigência do diploma para ser exercida a profissão de jornalista causou alarde não somente para os jornalistas como também para toda a população. Será que agora todos nós somos jornalistas? Qual o motivo de tanto alarde?
De acordo com o STF, todos os cidadãos têm liberdade de expressão e o mesmo ainda afirma e considera, que a profissão de jornalista é baseada e sobrevive apenas por esse motivo.
Na minha opinião, liberdade de expressão não deve ser confundida com liberdade de invasão, ou seja, não é pelo fato de eu ter liberdade de expressão que agora posso vir a ser considerado e desempenhar tarefas como: político, jornalista, senador , etc.
O STF se engana ao afirmar que o jornalista tem liberdade de expressão. O jornalista tem como objetivo passar a informação da melhor maneira possível, não se envolvendo com as notícias de forma alguma e principalmente, tendo estudado a história em si que levou até o fato que fez a notícia virar foco das manchetes.
O escritor sim tem uma grande e total liberdade em escrever tudo o que deseja, pensa e acha. Ele não se limita em depositar sua opinião pessoal sobre algum fato, pelo motivo de não estar "gerando uma notícia" e sim, comentando uma notícia que já fora "gerada".
O jornalista se tivesse essa mesma atitude, passaria a notícia de uma forma construída e se distanciando do fato verdadeiro, por já estar sua opinião envolvida, fazendo com que todas as pessoas que acompanham as informações que giram o planeta através dos meios jornalísticos não soubessem das notícias de uma forma pura e concreta, não podendo dessa forma, se envolverem e terem sua própria opinião pessoal, pelo fato da notícia vir com apenas uma visão sobre o caso noticiado.
É preocupante o que talvez estaremos por enfrentar daqui para frente com essa decisão.
Será que o que leremos daqui para frente será uma notícia ou simplesmente um fato misturado com uma opinião de alguém com liberdade de expressão?


Felipe Lucchesi

terça-feira, 16 de junho de 2009

Recicla-se Pessoas

Você ainda fala com todos aqueles amigos que prometeu uma amizade eterna? Tenho quase certeza que não.
Vendo alguns e-mails meus antigos, reparei a quantidade de amigos que há muito tempo atrás eram muito próximos a mim e vice versa e no entanto, hoje em dia estamos muito distantes. Alguns não vejo há anos, outros, não falo há tantos outros anos e ainda há aqueles que " se tiraram do meu caminho" ou eu "os tirei do meu caminho". Resumindo toda essa situação, é da natureza do homem reciclar pessoas. Isso não deve ser motivo de vergonha e nem deve ser considerado desleixo ou maldade. Não temos o controle total das coisas, das pessoas que entram e saem das nossas vidas e principalmente da atitude de cada pessoa para conosco.
Assim como o papel que deteriora, o aparelho de som que vai falhando aos poucos até chegar ao ponto de não tocar nenhuma música e não emitir nenhum som,algumas pessoas sofrem com esse mal e ao invés de evoluírem, acabam por regredirem. As que evoluem seguem adiante, e as que ficam para trás ficam por pouco tempo na vida das próximas que evoluirão.
Hoje em dia tenho minha turma de amigos e talvez amanhã tenha outra turma. Para continuarmos a sermos amigos, tenho certeza que não dependerá apenas de mim e por esse fato, não me sentirei culpado caso nos afastemos. Todos meus amigos sabem meu nome,sobrenome e onde me achar. Qual é o empecilho que pode haver para conseguirem me achar?
Tenho meus defeitos e minhas qualidades. Pedir desculpa é algo que faço sem ter a mínima " vaidade".
Foi quando perdi um colega meu, devido a um acidente de carro, que percebi que deveria dar mais prioridade aos momentos bons com todos e brigar menos e se caso ocorresse algum momento ruim, logo se fizesse o laço da paz novamente. Desde então, não consigo ficar brigado com alguém por muito tempo. Seja por medo do "nunca mais" chegar ao fim e virar realidade ou apenas aproveitar o máximo, da melhor forma, enquanto todos caminhamos para o mesmo "nunca mais",dessa vez, mais feliz e harmônico.


Felipe Lucchesi

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Convite para você

Sabendo a grande quantidade de pessoas que têm vontade de ver uma obra sua publicada num livro, aproveito esse espaço para informar que estou organizando uma Antologia que virará livro, que será vendido pela internet e claro que podendo ser recebido em todas as casas, apartamentos, etc.
Por conta de um convite do escritor Rodrigo Capella, recebi o inesperado e feliz convite de "comandar" essa mais nova Antologia, que será a segunda organizada através de uma comunidade do Orkut:"Dicas para publicar um livro".
Se deseja participar, clique aqui, entre na comunidade e responda o tópico com alguns dados para então eu entrar em contato mais adiante com você. Pronto !!!Fácil não é mesmo?
Te espero por lá !
Felipe Lucchesi