sexta-feira, 29 de maio de 2009

Me esqueça !

Ele estava com malas prontas,passagem em mãos,no meio do Aeroporto.Havia convidado alguns amigos próximos para se despedirem,antes da viagem,para assim,quem sabe dessa forma,aliviar um pouco a saudade,que teriam que combatê-la,durante os próximos seis meses.
Depois que todos já estavam ao seu redor,tirando fotos,conversando e rindo muito,seu celular tocou e a surpresa veio de imediato.Era um amigo que não via há um ano mais ou menos.Ele o convidara para o encontro,mas apenas por educação e não propriamente por querer vê-lo.O tempo que passaram distantes,fizera ele sentir não mais saudade e sim,uma grande indiferença e distância,que até parecia que nunca tinham se conhecido.
Os motivos pelos quais dois amigos se separam,são vários,mas nesse caso,os dois estavam separados,mais por um problema pessoal consigo mesmo que seu amigo sempre enfrentava e acabava ignorando tudo e todos,que o personagem central da história,já tinha desistido de tentar,porque afinal,ninguém muda nada sozinho,sem a vontade do próximo também querer fazer o mesmo.
Depois de certo tempo,desligado o celular,o amigo surge em sua frente.O silêncio foi tamanho,que o personagem surpreso não conseguia nem ouvir sua própria respiração,dando a impressão,que até ela se surpreendera e se calara.
Os dois ficaram se olhando e os amigos em volta,por fim,resolveram dar uma volta.Os dois de fato precisavam conversar a sós.
Não houve o diálogo tão esperado pelos dois personagens para aquele momento.
O personagem central olhou fixamente para os olhos do amigo e disse:
------Me esqueça !
O amigo em sua frente não esperava tal resposta,por já ter sido perdoado várias vezes.Será que não poderia ter sido mais uma vez?Essa,tinha a certeza que seria a última.
O personagem depois da frase "jogada" em seu amigo,saiu de perto,segurando suas malas pesadas,já em direção ao embarque.Estava muito triste por tudo aquilo estar acontecendo.Gostava muito da amizade,do seu amigo e do quanto tinham conquistado juntos,em alguns anos de amizade.Ao mesmo tempo,sabia que amor e amizade não se compra e não se doa,apenas troca-se.
Depois desse encontro,não se sabe,se os dois amigos voltaram a conversar.Um diante do orgulho em procurar o outro e assumir seus próprios erros e o outro,por estar cansado de perdoar e investir numa amizade,que diante do outro,parecia ser indiferente.
Obs:Essa história foi baseada em um fato que aconteceu comigo.


Felipe Lucchesi

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Doutores da Alegria

Sabe aqueles canais de tv que quase nunca você os visita?Foi exatamente num desses,que me deparei,numa inesperada e breve visita,com o curta metragem dos espetaculares:"Doutores da Alegria".Para quem ainda não os conhece,eu tenho a honra de apresentá-los.
Doutores da Alegria é um grupo de atores profissionais,que há tempos,faz visitas diárias à hospitais,levando alegria com conteúdo,respeito e música.Não há limite de idade para sorrir e rir deles e com eles.
Comecei a admirá-los desde o primeiro momento que os vi na mídia e procurei saber um pouco mais daquilo que todos sabiam.Descobri então que o critério de seleção para esses artistas,é muito rigoroso.A pessoa deve estar muito preparada em todos os setores da sua vida:profissional,pessoal,espiritual,etc.Esses mesmos artistas,passam(mesmo depois de aprovados),pelo menos uma vez por semana,por psicólogos,que os avaliam.
O trabalho de tais doutores é muito difícil e deve ser aplaudido de pé por todos.Não é apenas mais um grupo de palhaços,que tentam distrair crianças e adultos que passam por um momento difícil em relação a saúde.

O Doutores da Alegria é um grupo que leva alegria,reconhecendo tal dificuldade de seus pacientes,mas mostrando-os que a alegria é sempre bem vinda e que é apenas ela,a cura para a tristeza e o estímulo,para mais um sorriso.

Felipe Lucchesi

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Ré-ci-fe

Foi quando pisei naquela terra chamada Recife que percebi o quanto estava feliz e o quanto esperava por vivenciar aquele momento.Logo depois de sair do avião,do vai-e-vem de malas e pessoas,cheguei a um dos meus destinos preferidos:a imensidão azul de água estava me esperando há anos.
Desde que prometi a mim mesmo que conheceria Recife,procurei imaginar esse momento.Ele chegou ! Com os pés descalços,bermuda e camiseta regata,primeiramente olhei fixamente para aquela beleza perfeita e paradisíaca que estava diante dos meus olhos,logo depois,fui ao seu encontro.Sorri ! Era a única coisa que restava a mim,depois de tanto tempo de espera.
Durante a tarde e noite e demais dias,conheci um pouco de todos os lugares interessantes que havia pesquisado e algumas pessoas que conheci de Recife,haviam indicado.
Como em todo povoado,há pessoas simpáticas,antipáticas,legais e chatas.Conheci todos os tipos de habitantes.Quando surgia o assunto:”São Paulo”,todos falavam bem da minha cidade,a elogiavam e declaravam o quanto desejavam conhecer a “terra de concreto”,na visão deles.
Por conta do meu sotaque,jeito de vestir talvez,todos sabiam que eu poderia ser de todos os lugares,menos de Recife.Me diverti muito com a certeza que todos tinham de eu ser “turista”.
“Nessa terra voltarei ainda,para descobrir as tantas outras maravilhas...”


Felipe Lucchesi

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Virada Cultural 2009-São Paulo

Diante de tantos shows,espetáculos e passeios imperdíveis preparados especialmente para a Virada Cultural(que acontece em São Paulo e que acontecerá no Rio de Janeiro também a partir do próximo ano),resolvi fazer meu próprio mapa dos lugares que eu tinha que passar de qualquer forma.
Na primeira Virada Cultural que fui,acompanhei um show do Teatro Mágico.O grupo em si e o show que fazem é ótimo,mas a muvuca e confusão durante o show,não agradaram.No meu mapa portanto,não havia nenhum show(mesmo querendo muito ir ao show do Marcelo Camelo,mas já sabendo o que me esperava por lá:empurra-empurra,confusão,etc).
Da primeira fileira de um teatro localizado na Av.Paulista pude ver um ótimo concerto e depois fui a um centro cultural que no momento que cheguei,estava tendo uma apresentação de dança,com apenas garotas no grupo e uma ótima expressão corporal.
Sabendo por onde e como "trilhar" pelos lugares que estão disponíveis na Virada Cultural,não há aborrecimento,confusão e muito menos empurra-empurra e sim uma imensidão de boas oportunidades de conhecer pessoas talentosas e simpáticas,sendo as mesmas,artistas ou espectadores.


Felipe Lucchesi

Obs:Na foto você pode ver a Avenida Paulista em plena Virada Cultural.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Sai da frente !

Observando o trânsito de São Paulo e ao mesmo tempo,fazendo parte dele,é possível notar que motoristas:de ônibus,moto ou até mesmo bicicleta,têm uma ânsia de correr e de estar sempre em vantagem,em busca de menos tempo para chegar onde quer e mais espaço nas ruas.Quem nunca viu um carro em duas pistas ao mesmo tempo?Seria um carro obeso?Se fosse,acho que até respeitaria,mas não,aposto que era um carro como qualquer outro,com um motorista mal educado e sem noção das coisas.
A falta de respeito e consideração é absurda! No mesmo instante em que um motorista xinga uma mulher dirigindo,por mais que a mesma nem tenha feito barbeiragem,uma mulher se revolta com a barbeiragem de um homem e o xinga também.O motoqueiro discute com o motorista de ônibus e a ambulancia,viatura de polícia e corpo de bombeiro,fica perdida nessa muvuca toda,pedindo atenção e espaço para todos e com grande dificuldade consegue obter êxito nessa situação.
Acho que deveria ter uma pista especial para "carros especiais de emergência",que mesmo tendo sirenes ensurdecedoras,ainda não conseguem o respeito que deveriam receber.Por mais que sempre algum engraçadinho e dando um "jeitinho brasileiro" usasse essa pista(quem sabe recebesse multa se muitas coisas mudassem nesse país),ainda sim,seria de grande utilidade e necessidade.
Abra caminho para viaturas de polícia,corpo de bombeiros e ambulancia,quem sabe amanhã pode ser você à espera de alguma delas!


Felipe Lucchesi