sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Odiar ou amar a televisão?

As pessoas mais velhas descobriram a televisão e passaram a fazer dela,seu principal meio de entretenimento e informação.Não conheço acho que ninguém de muitos anos atrás,quando acabara de ser inventada que não goste de tê-la ainda hoje em sua sala,quarto,etc e passar boa parte do seu dia em frente a ela.
Já algumas pessoas que nasceram com esse meio de comunicação,com uma antena em cima e diversas novelas,seriados,programas de auditório,etc,sendo exibidos enquanto mães e pais ainda balançavam berços e davam mamadeiras com leite quente,têm a opinião de que “televisão não presta” e vivem espalhando aqui e acolá,que não vêem televisão porque “preferem algo que lhes proporcione mais cultura”.Quem disse que televisão não é cultura?
Odeio essa gente “pseudo-intelectual”,que distorce o poder que uma tela e uma antena,que exibe ao vivo ou gravado,artistas e anônimos e que eterniza momentos tristes e preciosos da história do nosso mundo.
A televisão é sim muito culta e muito importante na vida de cada um que habita esse planeta.Quem não lembra emocionado do desenho animado,programa de auditório,novela ou qualquer outro programa que tenha acompanhado quando criança?
Acho que generalizam a “podridão” que existe de fato nesse meio,mas que existe também em todos os outros meios,mas como esse é o mais “íntimo” digamos assim de nós,por termos a necessidade e darmos mais importância ao que vemos e ouvimos,é criticado destrutivamente,por aqueles que só conseguem ver seu lado “obscuro”,que é investido por bumbuns de belas mulheres,sensacionalismo,etc e que logo do lado,em outros canais,é possível encontrar o oposto desse vírus de “quinze minutos de fama e audiência” e é quando acompanhamos aquilo que nos proporciona diversão com qualidade e informação com verdade.
Podem achar que sou contra aquilo que é exibido sem o intuito de levar cultura e “acreditar na inteligência do povo” e portanto,esclareço a partir de agora,que para mim,tudo na televisão é totalmente importante para nós telespectadores.
É através do que é ruim,descartável,que construímos o nosso conceito do que é bom e durável e é assim que entram todos os programas,mexendo com o nosso conceito durante todo o tempo que damos um “click” no nosso controle remoto e vemos uma nova imagem sendo exibida em nosso televisor.
Com esse conceito muito bem construído e sendo reformado,a cada dia,com novas experiências e opiniões é que podemos ter a vitória da sociedade,que será alimentada cada vez mais por pessoas capazes e cultas,que definem o que é bom e ruim,para ser visto,lido e até vivido,porém,não descartando nenhuma oportunidade,sendo ela,descartável ou durável,porque afinal,a reforma “cultural” é constante.


Felipe Lucchesi

3 comentários:

Mariana disse...

Oii Felipe!
Sabe, o problema é que as pessoas não sabem usar a televisão.
Se você quer assistir programas bons, é só procurar porque tem.
Mas tem gente que não muda de emissora, e assiste sempre as mesmas coisas.
Elas acham que a “tal emissora” é uma maravilha.
Aiai neh...


Bom, por hj eh so...
ah, visita meu blog..

http://wisegirl.zip.net

BjoBye

meps. disse...

Toda arma poderosa (e a televisão é, sem dúvida alguma, uma delas) tem seus prós e contras. Aliás, o que é que não tem?
Tbm odeio pseudo-intelectuais. Hehe
Bjss

Gran Magic Carmesin: Nat Valarini disse...

Bom dia!

Não gosto de gente extremista... esse conceito de que televisão não presta é uma furada!

Claro que hoje em dia há muita coisa ruim, mas lembra daquele ditado popular que diz: "Quem procura acha?" se as pessoas derem uma garimpada, conseguirão encontrar algum programa interessante.

A televisão não está totalmente perdida, generalizar é besteira.

Ótima postagem!
Bjoks!